quarta-feira, 12 de novembro de 2008

A capoeira é um sentimento

Já são 20 anos de capoeira.... Parece que foi ontem que comecei a treinar!
Foi amor à primeira vista. Com a capoeira aprendi e aprendo muito a cada dia. Acho que cada um nasce com uma missão na vida e eu acredito que nasci para a capoeira. Minha missão é educar, cuidar, ajudar o próximo, isso é o que me faz me sentir realizado e grato pela vida. Confesso que não tenho motivos para reclamar da minha vida, acredito que tudo que eu tenho foi Deus quem me deu. Aprendi pouco a pouco, à aceitar os desafios como uma forma de recompensa, sabendo que após uma tempestade a serenidade é uma conseqüência. O maior ensinamento que Deus nos deixou foi a importância de amar ao próximo. Quando estou dando aula, tenho esta exata certeza de que o amor contagia. Vejo que todos estão felizes e cria-se uma troca de energias positivas além de um sentimento de alegria sem fim.

Especialmente, quando estou na ONG Capoeira Capaz, parece que esqueço de meus problemas ou das dificuldades cotidianas. Ali de fato existe uma troca de experiências e sentimentos que não se explicam e tampouco tem preço. Minha motivação e alegria em ajudar na ONG, são movidas pelo sorriso de uma criança. A capoeira é uma manifestação cultural brasileira desenvolvida no Brasil na época colonial e passou por várias mudanças até os dias de hoje. Na capoeira não existe distinção de cor, diferença de sexo ou idade, tampouco classe social. É um ajudando o outro a enfrentar as dificuldades da vida como foi na época da escravidão. Afinal, hoje somos escravos da modernidade, do trânsito, de nossas dívidas, de nossos orgulhos e personalidade. Assim, nada melhor do que a capoeira para nos libertar disto tudo. A capoeira é do bem!!

Se você me pedisse um conselho para uma vida melhor, eu diria: “Vamos jogar capoeira, vamos tocar berimbau, vamos cuidar de nossos amigos, vamos cuidar de nossos filhos, vamos cuidar de nossa família, vamos cuidar de nós mesmo!”. Escrevo isto pois na vida, a melhor coisa que temos é saber que um dia fizemos algo de bom não só para nós mesmos, mas para mais alguém, e ter a certeza de que este alguém também fará a mesma coisa para uma outra pessoa. É assim que vejo a capoeira e o ciclo mágico da vida: como uma manifestação do relacionamento humano movido pela sua fórmula mais preciosa e original, AMAR AO PRÓXIMO COMO DEVEMOS AMAR A NÓS MESMOS.

Eduardo Areias (Kiduro )

Um comentário:

Selma Moura disse...

Nossa, Eduardo, que coisa linda de ler! E quem te conhece sabe que é verdade: aquilo que você ensina é o que você vive, os princípios éticos que você segue.
Conviver e conhecer seu trabalho é uma lição de vida.
E vejo que a capoeira, de fato, traz tudo isso que você coloca. Em breve espero estar jogando também!
Obrigada por compartilhar com todos seu conhecimento, seu trabalho e seu exemplo!
Selma Moura